Referência para prematuros, Regional do Baixo Amazonas incentiva o aleitamento materno


Ao longo do mês, unidade realiza ações de conscientização sobre o tema no Agosto Dourado

[02/08/2022] Referência no tratamento de bebês prematuros na região Oeste do Pará, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, realiza ações de conscientização durante o Agosto Dourado – mês dedicado à promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

Como parte das atividades, o HRBA está promovendo palestras, exposição de fotos de mães amamentando, distribuição de laços dourados e cartilhas de orientação, voltadas para a conscientização de usuárias e colaboradoras da unidade, que pertence ao Governo do Estado do Pará, e atua como retaguarda para atendimento a gestantes de alto risco, dando suporte de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI Neonatal) para recém-nascidos prematuros na região.

A nutricionista da UTI Neonatal do HRBA, Thaís Maia, explica que o leite materno é o principal aliado na recuperação desses bebês. “É um alimento considerado padrão ouro de nutrição de crianças de zero até seis meses de idade, porque nele existem nutrientes que não são encontrados em fórmulas artificiais, sem contar a lista de benefícios para o bebê e a mãe”.

A amamentação com leite materno proporciona o fortalecimento da imunidade do recém-nascido, previne doenças crônicas no futuro (obesidade, diabetes e hipertensão), previne infecções, estimula o desenvolvimento neurológico e proporciona benefícios para as mães, entre eles “menor risco de adquirir câncer de ovário e mama e auxilia na perda de peso pós-parto”, exemplifica a nutricionista.

Elizangela da Cruz dos Santos, de 23 anos, é mãe do Apolo, internado em junho na UTI Neonatal do HRBA com apenas quatro dias de vida por ter nascido com prematuridade e baixo peso, necessitando de cuidados intensivos. Há dois meses sob os cuidados dos profissionais do hospital, e após avaliação da equipe médica, Apolo já está recebendo leite direto do seio de sua mãe.

“O leite materno é muito importante porque está ajudando no crescimento dele. Nasceu prematuro e precisou ainda mais ainda desse alimento. Dou quatro vezes ao dia, ordenho para ele tomar durante a noite e já observo a melhora do meu filho. Se Deus quiser, vamos receber alta e ir para casa”, diz Elizangela.

Administrado pela entidade filantrópica Pró-Saúde, o Hospital Regional do Baixo Amazonas é referência para 1,4 milhão de pessoas residentes em 30 municípios das regiões do Baixo Amazonas, Tapajós e Xingu. A unidade possui 19 leitos de UTI Neonatal e uma sala de coleta de leite.

“Na sala de coleta, as mães realizam a ordenha do leite que é devidamente armazenado para depois ser ofertado aos recém-nascidos que precisam de um pouco mais de atenção. O leite é disponibilizado por meio de sonda, e nos que estão clinicamente mais estáveis é realizado o aleitamento materno com a supervisão das equipes”, compartilha a diretora Assistencial da unidade, Camila Barral.

Em 2021, a sala de coleta de leite do Regional registrou um volume de 135 litros de leite materno ordenhado. No primeiro semestre de 2022, já são 58 litros. Atualmente o hospital está com 12 pacientes sendo alimentados com leite materno, seja por sucção direta no seio materno ou por sonda orogástrica.

A diretora Camila acrescenta que, à medida que os recém-nascidos vão se recuperando, as equipes multiprofissionais fazem o estímulo à sucção do leite diretamente na mama da mãe. “Muitas crianças que atendemos chegam em estado grave em nossa unidade e o leite materno é um item fundamental no restabelecimento da saúde delas, nos possibilitando retorná-la saudável e mais forte para sua mamãe e familiares”, afirma a diretora.

De acordo com Camila, o hospital busca prestar uma assistência segura, resolutiva e humanizada à toda população, sempre com foco na recuperação dos pacientes, “por isso, desenvolvemos várias campanhas de conscientizações, como o Agosto Dourado, para que mais mães e toda a comunidade sejam alcançadas e mais bebês sejam beneficiados”, finaliza a diretora Assistencial.

Reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil, o HRBA tem a mais alta certificação nacional, ONA 3 (Organização Nacional de Acreditação). A certificação assegura o padrão de segurança e qualidade no atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).