Neurocirurgião que atua no HRBA e na saúde dos povos indígenas é destaque em vídeo do Papa Francisco

 

[07/04/2022] O neurocirurgião Erik Jennings, que atua há 14 anos no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), gerenciado pela Pró-Saúde, em Santarém, teve seu trabalho destacado no vídeo de oração do Papa Francisco, em publicação neste mês de abril, na Rede Mundial de Oração do Papa (assista ao vídeo completo aqui: https://www.youtube.com/watch?app=desktop&v=bVFw4h3MCMc).

As imagens dão projeção internacional ao trabalho de inúmeros profissionais de saúde no enfrentamento da pandemia de Covid-19 no mundo. Por volta de 1min08s, aparece o neurocirurgião em atuação contínua nas tribos indígenas da região. Na mensagem, o papa explica: “Rezamos pelos profissionais de saúde que atendem doentes e idosos, especialmente nos países mais pobres; que eles sejam adequadamente apoiados pelos governos e comunidades locais”.

“Sabemos da dificuldade da medicina chegar a lugares remotos e a povos indígenas vulneráveis e nativos da Amazônia. O vídeo contempla não a mim, mas um estilo de servir às pessoas, preocupado em levar atendimento médico aos mais necessitados e aos lugares mais distantes e remotos. Me senti muito feliz em poder colaborar com essa mensagem do Papa”, destacou Jennings.

 

 

Pós-graduado em Saúde Indígena, Erik Jennings é um dos profissionais com forte atuação há mais de 18 anos na assistência aos povos indígenas na região do Baixo Amazonas. Esse trabalho teve início em 2002, com o objetivo de prestar atendimento ao povo da etnia Zo’é.

Oeste do Pará

O HRBA, pertencente ao Governo do Pará, é uma das principais unidades de saúde no Oeste do estado com assistência voltada aos povos indígenas. Os atendimentos envolvem diversas etnias, entre elas os indígenas dos povos Kayapó, Arapiun, Borari, Zo’é, Mundururku, Wai Wai, Akunsu, Kaxuyana, Kubeo, Xavante e Yaipiyana.

Em janeiro de 2021, Jennings foi o responsável pela iniciação da vacinação do povo Zo’é, que não registrou nenhum caso de coronavírus até o momento. A Funai também estabeleceu protocolos rígidos de entrada de colaboradores nas áreas demarcadas.

“Ser médico é uma benção. Poder ajudar as pessoas é uma benção. Não podemos perder essa dimensão de que ser médico é um privilégio divino. Ser contemplado no vídeo é uma consequência dessa filosofia que carrego comigo o tempo todo”, ressalta.

Além do Hospital Regional do Baixo Amazonas, o especialista também atua no apoio às ações da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

“É importante ressaltar que as instituições só funcionam se tiver pessoas interessadas em atender as outras pessoas. Por trás das instituições, estão médicos, enfermeiros, técnicos, profissionais que dedicam sua vida aquilo. Essas pessoas precisam ser reconhecidas. Como meu trabalho, existem milhares de pessoas desenvolvendo um trabalho fantástico na Amazônia”, finaliza o médico.

Reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil e com a certificação nacional (ONA 3 Acreditado com Excelência), o Hospital Regional do Baixo Amazonas é uma unidade de retaguarda de média e alta complexidades para atendimento aos povos indígenas da região com assistência que respeita as crenças e a cultura dos povos e, também, realiza ações na própria área indígena.