Hospital Regional de Santarém é o único do Norte do Brasil reconhecido em relatório mundial do meio ambiente

Unidade apresentou trabalho de redução de resíduos de medicamentos usados no tratamento de pacientes oncológicos

(06/04/2021) – O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, é a única unidade de saúde do Norte do Brasil a integrar a edição 2020 do Relatório “Hospitais que Curam o Planeta”, promovido pela organização não governamental internacional Salud Sin Daño (Saúde Sem Dano).

A publicação, que ocorre anualmente, mostra os resultados de minimização dos impactos ambientais conquistados por membros da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis da América Latina, da qual o HRBA faz parte.

No Brasil, apenas o Regional do Baixo Amazonas, no Pará, e a Santa Casa de Misericórdia da Bahia, tiveram seus trabalhos destacados no relatório. Para acessar o resultado do relatório internacional na íntegra, basta acessar o endereço: https://www.hospitalesporlasaludambiental.net/hospitales-que-curan-el-planeta/

Por meio do projeto “Redução da Geração de Resíduos Quimioterápicos”, a unidade reduziu em 20% a quantidade de resíduos gerados no setor de Farmácia da Quimioterapia, de 107 quilos em 2017, para 86 quilos em 2019.

O resultado foi alcançado após o setor adotar o método de organização do uso de medicamentos chamado de “agenda inteligente”, que contribuiu para um processo denominado de farmacoeconomia.

Neste método, os pacientes com mesmo tipo de tratamento e contendo medicamentos quimioterápicos semelhantes são agendados para atendimento sincronizado, evitando o desperdício e geração de mais resíduos.

Por exemplo, um frasco de medicação contém 10 ml, se os pacientes só precisam de 5 ml para o tratamento de quimioterapia, é feita a aplicação em ambos no mesmo dia, evitando o descarte de dois frascos na lixeira, caso o medicamento fosse administrado em dias diferentes, em cada paciente.

“Os resíduos de medicamentos quimioterápicos são considerados extremamente perigosos à saúde humana e ao meio ambiente, dependendo do tratamento que é dado ao material no seu destino final”, destaca a supervisora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do HRBA, Sheila Oliveira.

Além de contribuir com o meio ambiente, a medida barrou o desperdício de medicamento e, consequentemente, resultou na redução de custos para o hospital.

“Seguindo diretrizes legais, sem gerar prejuízos aos pacientes, foi possível implementar a agenda inteligente de medicação mantendo a qualidade do serviço prestado e minimizando a geração de resíduos ao meio ambiente. Tudo isso possibilitou uma economia financeira de 37% em 2019, só com o tratamento de resíduos químicos, em comparação com o ano anterior”, explica a gerente de Farmácia, Sândrea Queiroz.

Para o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi, o reconhecimento recebido pela ONG Salud Sin Daño só reforça as estratégias da Pró-Saúde na busca constante à prática de uma cultura de sustentabilidade. “Este reconhecimento é a constatação de que é claramente possível conciliar a assistência à saúde, segurança e qualidade às boas práticas ambientais. Melhor que isso, é poder saber que as práticas implantadas fazem com que não tenhamos apenas excelentes profissionais, mas também, cidadãos comprometidos com a sociedade e nossas futuras gerações”, afirma Moreschi.

Unidade pertencente ao Governo do Estado do Pará, o HRBA é uma instituição de saúde pública com atendimento 100% gratuito para casos de alta complexidade, e é gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde, desde 2008. O hospital atende uma população estimada em mais de 1,3 milhão de pessoas, residentes em 30 municípios e é referência em tratamento de câncer no Norte do Brasil, entre outras especialidades como Neurocirurgia, Ortopedia e Traumatologia e Terapia Renal Substitutiva.

Projeto Hospitais Saudáveis

Este mesmo case do HRBA, em novembro de 2019, foi o responsável pela conquista do título “Amigo do Meio Ambiente”, por meio do projeto Hospitais Saudáveis, que é o ponto focal no Brasil da organização internacional Salud Sin Daño.

Na edição nacional, a iniciativa concorreu com 146 projetos de dez estados brasileiros. O reconhecimento posicionou o hospital paraense como referência em sustentabilidade no País.

Duas conquistas internacionais em março

Além da publicação no Relatório “Hospitais que Curam o Planeta”, no mês de março, o Hospital conquistou o 1º lugar no 4º Seminário Internacional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde, com a redução de infecções na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Os reconhecimentos são uma demonstração da experiência de gestão do Regional do Baixo Amazonas em práticas resolutivas e sustentáveis que beneficiam os pacientes e o meio ambiente.