Hospital Regional de Santarém atende 860 mil e reduz infecção hospitalar em 30% no último ano

O governador Simão Jatene inaugurou nesta quarta-feira (22), no município de Santarém, a ampliação do Serviço de Terapia Renal Substitutiva (Hemodiálise) do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), que passará de 12 para 27 máquinas disponíveis ao tratamento de pacientes renais. FOTO: CRISTINO MARTINS/ AG. PARÁ DATA: 22.06.2011 SANTARÉM - PARÁ

Unidade está entre os melhores hospitais do país e alcançou índice de 99% de aprovação dos usuários

(27/01/2020) – Reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém (PA), realizou 869.701 mil atendimentos em 2019. O número engloba internações, cirurgias, consultas, exames e atendimentos de urgência e emergência. A unidade realizou ainda 22 transplantes de rins e 8 captações de múltiplos órgão. Desde 2008, o Hospital já acumula mais de 7,1 milhões de atendimentos. Outro feito impressiona: a redução em 30% das principais infecções hospitalares relacionadas a procedimentos invasivos, nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), onde o risco de infecções é maior.

Entre os usuários atendidos pelo serviço está Luziane Rodrigues da Silva, de 21 anos. Ela passou por um procedimento raro e inédito na região Norte do Brasil, de perfusão de membros, que promoveu regressão tumoral e evitou amputação de uma das pernas. “Eu fiquei muito aliviada. Quando abri os olhos, após a cirurgia, o médico falou que havia sido um sucesso. Eu me emocionei muito”, contou a paciente, que recebeu alta e voltou às atividades normais em seu município de origem, Itaituba (PA).

O diretor Hospitalar, Hebert Moreschi, destaca a importância das conquistas e o papel da unidade na promoção da saúde. “O HRBA tem um papel importantíssimo para todo o Estado do Pará. Evoluímos na realização de exames, cirurgias e atendimentos. Seguimos no caminho certo, em busca de cada vez mais resolutividade e prestando assistência de qualidade e com segurança para toda a população”, destaca.

Com atendimento 100% gratuito para uma população estimada em 1,3 milhão de pessoas, residentes em 23 municípios da região Oeste do Pará, o HRBA pertence ao Governo do Pará e é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O hospital é referência para média e alta complexidades, prestando um serviço de qualidade e com segurança ao paciente.

Reconhecimento nacional

No ano passado, a avaliação dos usuários nos serviços prestados alcançou 99,4% de aprovação, índice que corrobora a qualidade do atendimento oferecido. Desde 2015, o HRBA possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência – o mais alto nível de qualidade assistencial, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), uma das mais respeitadas do mercado de saúde no Brasil – título que o projetou para figurar entre os dez hospitais públicos de excelência do Brasil.

Entre as conquistas de 2019, o HRBA recebeu Prêmio Amigo do Meio Ambiente e o reconhecimento pela participação no Desafio do Clima pela Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis, promovidos pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Além disso, recebeu a placa “Educador da Amazônia”, concedida pelo curso de Pedagogia do Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes), por desenvolver trabalho de excelência em educação hospitalar na Amazônia.

Classe hospitalar e Centro de Estudos e Pesquisas

O Governo do Estado inaugurou em 2019, com a presença do governador Helder Barbalho, o projeto Classe Hospitalar, que garante o direito e o acesso à educação e à continuidade dos estudos para crianças que estejam internadas no HRBA, em tratamento de saúde por tempo prolongado. Certificado como Hospital de Ensino pelo Ministério da Saúde desde 2014, o HRBA também inaugurou o Centro de Estudos e Pesquisas (CEP), em fevereiro de 2019.

O novo serviço conta com laboratórios, espaço para avaliação física, salas de aula e de reunião, e é o primeiro centro a funcionar dentro de um hospital na Amazônia.  Ainda na área do ensino e pesquisa, é referência em oncologia na região, com a realização de 12.272 sessões de quimioterapia e 31.338 sessões de radioterapia no ano passado. A unidade realizou ainda a inserção da residência médica oncológica, através de parceria com a Universidade Estadual do Pará (UEPA).

Destaque também para a formação de 35 colaboradores nas duas primeiras turmas do curso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) da unidade. A medida visa garantir a eficiência da comunicação, além de um atendimento mais humanizado aos usuários surdos do Sistema Único de Saúde (SUS). Como novidade, também realizou a 1ª edição da Corrida Doando pela Vida, que visa conscientizar sobre a doação de órgãos, iniciativa esportiva que contou com uma grande adesão da população.

Ampliação

Para 2020, o diretor Hospitalar aposta na ampliação da unidade. “Nossa expectativa para este ano é realizar a ampliação do número de leitos, de 153 para 306. O projeto do Governo do Pará já foi entregue ao Ministério da Saúde, por meio da bancada de representantes do Pará. Esperamos que em 2020 possamos ofertar ainda mais serviços para toda população do Oeste do Pará”, enfatiza Moreschi.

No projeto, está prevista também ampliação dos setores de ambulatório, quimioterapia, centro cirúrgico, triagem, hemodiálise (que com a ampliação passará a ser a maior da região Norte), além da construção de um heliponto e de um centro de estudos com auditório.

 Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.