Hospital Regional do Baixo Amazonas leva sua expertise para municípios da região

A unidade realizou capacitação sobre a utilização de cápsulas para ventilação não invasiva, técnica essencial para atendimento de casos da Covid-19

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), gerenciado pela Pró-Saúde em Santarém, realizou uma capacitação para profissionais de saúde de vários municípios da região Oeste do Pará (Monte Alegre, Alenquer, Óbidos, Prainha, Itaituba, Oriximiná e Almeirim). Os profissionais foram treinados quanto as técnicas corretas de utilização das cápsulas, que auxiliam o tratamento de pacientes com o novo coronavírus (Covid-19).

As cápsulas foram desenvolvidas pelo HRBA – unidade pertencente ao Governo do Pará, em parceria com a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), no início do mês de maio, para serem utilizadas em conjunto com o Bipap – aparelho de ventilação não invasiva – para melhorar as condições de tratamento dos pacientes com coronavírus. O equipamento também auxilia na proteção dos profissionais de saúde, como um complemento aos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“Quando iniciamos a utilização das cápsulas aqui no hospital, começamos a receber diversas solicitações das secretarias de saúde municipais, para a confecção e doação de novas cápsulas. Unimos forças para conseguir atender estes municípios e essa capacitação visa preparar esses profissionais da saúde para utilizarem mais este recurso”, destacou o coordenador de Fisioterapia da Pró-Saúde, com atuação no HRBA, Jonas Rocha.

As cápsulas foram construídas com baixo custo, usando como base de sustentação tubos em PVC que conectados, formam um cubo. A base é envolvida com lona transparente impermeável e equipada com um exaustor, que faz uma pressão negativa no interior, retirando os aerossóis através de um filtro de descontaminação, que tem a função de fazer o ar interno da cápsula sair limpo.

A enfermeira Elizane Sales, atua no Hospital de Campanha do município de Prainha. A unidade possui seis leitos clínicos para estabilização de casos suspeitos ou graves da doença. “Quero aprender mais para ajudar os pacientes da minha cidade. Não queremos que esses pacientes se agravem e necessitem de transferência para o HRBA, queremos resolver o problema localmente. Essa capacitação me ajudou, inclusive, a aprender manusear o bipap, que vai auxiliar na oxigenação dos pacientes”, afirma.

Para o diretor Hospitalar do HRBA, Hebert Moreschi, o curso serviu para fortalecer a assistência em saúde nos municípios para os quais a unidade é referência. “Como hospital de caráter regional, temos a missão levar o conhecimento para fora. Esse foi um momento de compartilhamento de informações importantes para o enfrentamento da Covid-19 e que vai fortalecer a assistência em nossa região”, ressalta Hebert.

A abertura do evento contou com a participação do secretário Regional do Governo do Pará no baixo Amazonas, Henderson Pinto; da Diretora do 9º Centro Regional da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) Marcela Tolentino, da coordenadora de Saúde do Centro Regional de Governo, Talita Liberal; da diretora Assistencial do HRBA, Francilene Veloso e do promotor de justiça do Ministério Público de Prainha, Bruno Fernandes.

“O Ministério Público ficou muito feliz de saber que foi intermediador dessa conquista. Com esta iniciativa do HRBA e Ufopa, a expectativa é que menos pessoas precisem de internação por estado grave”, ressalta o promotor Bruno.

Leitos para Covid-19 no HRBA

O Hospital Regional do Baixo Amazonas, unidade do governo do Estado do Pará, que presta atendimento 100% gratuito, é referência no tratamento de casos da Covid-19. A unidade conta com 153 leitos e, com as adequações feitas, possui agora 52 leitos exclusivos para atendimento aos casos da doença, que estão divididos em 45 leitos de UTI Adulto, quatro leitos de UTI Pediátrica e três leitos de UTI Neonatal.

Até a manhã desta segunda-feira (6/7), o HRBA, considerando um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil, já alcançou a marca de 113 pacientes recuperados após internação relacionada ao novo coronavírus.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.